• Simule seu crédito

    Simule seu crédito

    • Empréstimo com veículo em garantia
    • Empréstimo com imóvel em garantia
    • Empréstimo consignado
    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Soluções

    Soluções

    • Imóveis
    • Reforma
    • Venda
    • Carros

    • Financiamento de carros
    • Loja de carros
    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Benefícios corporativos

    Empresas

    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Ajuda
Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Controle financeiro
  • Realizando sonhos
  • Saia do Vermelho
  • Me explica Creditas
  • Tudo sobre Crédito
  • Meu negócio
  1. Home

  2. Tudo sobre Crédito

Tudo sobre Crédito

Taxa de juro de empréstimo: como calcular na prática

A taxa de juros é o primeiro ponto para avaliar antes de contratar um empréstimo, mas é fundamental levar em conta os demais custos da operação

por Vanessa Ferreira

Atualizado em 19 de setembro, 2022

6 minutos de leitura

Quer saber como calcular os juros do empréstimo? Então você está no lugar certo. Nesta matéria, você encontra tudo que precisa saber sobre as taxas de juros de empréstimo.

Na hora de buscar crédito, a taxa de juros do empréstimo é uma das principais preocupações. De fato, o tributo tem um papel importante no custo total do empréstimo e das parcelas a serem quitadas. 

Por isso, é preciso entender como funciona a taxa de juros e aprender como calcular juros de empréstimo antes de comparar as opções disponíveis no mercado.  Para facilitar sua jornada nesse universo, confira os principais tópicos desta matéria:

Como funcionam as taxas de juros e por que elas variam?

Por que os empréstimos e as soluções de crédito têm taxa de juros diferentes? E por que as taxas são menores no empréstimo com garantia comparado com o empréstimo pessoal? Confira essa e outras perguntas no "Explica Aí, Creditas!".

O que define o valor de um empréstimo?

Você já deve ter se questionado como é feito o cálculo do juros do empréstimo que define o valor total e o das taxas de juros usado pelas instituições financeiras.

A taxa de empréstimo funciona como um artifício de segurança da instituição financeira para casos em que a pessoa que pediu o empréstimo e não pagou as parcelas.

São vários os fatores que interferem na definição da taxa de juros de empréstimo e isso muda de uma empresa para outra. Entre os principais estão: a situação econômica do Brasil e a política de crédito interna da instituição financeira. 

Além disso, três valores são normalmente usados pelas instituições na hora de compor a taxa de juros do empréstimo:

  1. O custo de aquisição do cliente;
  2. A taxa de retorno do investidor;
  3. E o custo da venda. 

Dentro deste cálculo, as instituições ainda levam em consideração fatores, como o risco de crédito e de inadimplência. 

Selic - Taxa básica da economia

Uma das variáveis que podem afetar esse custo é a taxa Selic — Sistema Especial de Liquidação e Custódia — uma taxa básica da economia, que é usada como base para determinar as taxas de juros cobradas nos empréstimos de qualquer natureza, incluindo a taxa de juros de empréstimos. 

O cenário econômico do país, como o aumento ou redução da inflação impacta diretamente a mudança da taxa. Empréstimos, investimentos, consumo e até a cotação do dólar são afetados por variações na Selic.

Leia tambémO que é taxa Selic e como afeta a sua vida?

CET - Custo Efetivo Total

É importante reforçar que a taxa de juros não é o único custo envolvido em um empréstimo. Existem outras taxas, seguros e encargos que compõem o CET (Custo Efetivo Total), incluindo:

  • IOF: o Imposto sobre Operações Financeiras é um encargo obrigatório, cobrado de empréstimos, financiamentos, operações de câmbio e títulos imobiliários, que deve ser incluído no valor total do empréstimo;
  • Tarifa de cadastro: essa taxa não é obrigatória, mas ainda é cobrada por muitos agentes financeiros para cobrir custos com pesquisa sobre a situação financeira do cliente;
  • Seguros: alguns agentes financeiros também podem cobrar seguros para garantir o pagamento em caso de desemprego ou morte do titular.

Ainda é possível que os agentes cobrem taxas de manutenção de cadastro e taxas administrativas. Essas cobranças podem variar de acordo com a política de crédito da instituição financeira. 

A instituição financeira deve por lei fornecer o CET mínimo e máximo antes mesmo de você contratar o crédito. Mas é importante saber que nem sempre as taxas de juros mais baixas são sinônimo de um CET menor. 

Sempre vale a pena acompanhar o CET de diferentes tipos de empréstimo para descobrir a melhor oferta. Dessa forma, é possível comparar as taxas de juros, os prazos de pagamento e condições de vários bancos.

Qual banco tem a menor taxa de juros para empréstimo?

O mercado de empréstimo online está em expansão no Brasil, principalmente com o crescente avanço das fintechs especializadas em crédito. Essas empresas de tecnologia especializadas em finanças buscam facilitar o acesso ao crédito, oferecendo condições mais saudáveis ao consumidor.

Com essa inovação é possível contar com serviços e atendimento personalizados, além de taxas de juros reduzidas. Isso porque essas empresas não possuem os custos operacionais envolvidos em manter uma agência física. 

Além disso, a automatização dos processos também possibilita a desburocratização e consequente agilidade nas operações. Hoje é possível consultar, simular e contratar empréstimos de forma parcial ou totalmente online, em poucos minutos.

Mas qual banco tem a menor taxa de juros para empréstimo? Bem, para fazer uma boa escolha, é preciso conhecer cada modalidade de crédito disponível no mercado e entender qual acolhe melhor seus objetivos. 

O melhor caminho é comparar a taxa de juros praticadas por cada modalidade de crédito em agentes financeiros diversos. Além de levar em conta a taxa de juros de empréstimos, não deixe de considerar os valores e prazos oferecidos.

Como calcular empréstimo: veja como fazer as contas

Veja abaixo como fazer os cálculos com juros simples ou compostos.

Como fazer cálculo do empréstimo com juros simples

Diversos fatores podem contribuir para a definição do valor dos juros dos empréstimos. Cada agente financeiro pode cobrar taxas diferentes, de acordo com a sua política de crédito e o perfil financeiro de quem está pedindo o crédito. 

É por isso que é muito importante comparar as condições antes de decidir onde solicitar o crédito. Afinal, quanto menor a taxa de juros, menor será o valor pago no final.

Também é preciso levar em conta o tipo de juros cobrados pelo agente financeiro, que pode ser dividido entre simples e composto. 

Esses dois tipos de juros formam a base de todas as transações financeiras e é importante saber o conceito de cada um para tomar boas decisões. Você pode ler mais sobre como funciona e quais são as diferenças do juros simples e compostos aqui no Exponencial.

O cálculo de juros simples, como o próprio nome sugere, é bastante fácil de entender. Nesse caso, a taxa definida é aplicada todo mês em cima do valor recebido. Por exemplo:

  • Ao solicitar um empréstimo de R$ 1 mil com juros de 3% ao mês, você sempre pagará 3% de  R$ 1 mil (R$ 30) até o fim do pagamento de todas as parcelas.

Como fazer cálculo do empréstimo com juros compostos

Enquanto os juros simples baseiam-se no valor total de um empréstimo ou investimento, os juros compostos  se baseiam no valor total, incluindo os juros que se acumulam em cada período. Na prática, trata-se de juro sobre juro.

Nesse caso, a taxa é sempre calculada em cima do valor inicial (aquele que você pegou emprestado) mais o valor dos juros cobrados no mês anterior. Por exemplo:

  • Você escolheu um empréstimo de R$ 1 mil com 3% de juros ao mês, ou seja, o valor do juros naquele mês é de R$ 30. 

No mês seguinte, você precisará contar com o valor total do empréstimo + a taxa de juros do mês anterior. Assim, o valor a ser calculado para a segunda parcela será 3% de R$ 1.030.

E assim acontecerá nos meses seguintes, com o valor sendo recalculado de acordo com a taxa de juros do mês anterior.

Vejamos como ficaria oito meses de parcelas deste exemplo em uma operação de juros compostos:

Mês

Capital (R$) Juros % Montante (R$) Capital + Juros

1

R$ 1.000 3% de R$ 1.000 = R$ 30 R$ 1.030

2

R$ 1.030 3% de R$ 1.030 = R$ 30,9

R$ 1.060,90

3

R$ 1.060,90 3% de R$ 1.060,90 = R$ 31,82

R$ 1.092,72

4

R$ 1.092,72 3% de R$ 1.092,72 = R$ 32,78

R$ 1.125,50

5

R$ 1.125,50 3% de R$  1.125,50 = R$ 33,76

R$ 1.159,27

6

R$ 1.159,27 3% de R$  1.159,27 = R$ 34,77 

R$ 1.194,05

7

R$ 1.194,05 3% de R$ 1.194,05 = R$ 35,82

R$ 1.229,87

8 R$ 1.229,87 3% de R$ 1.229,87 = R$ 36,89

R$ 1.266,77

Nesse caso, o juros ao mês seria de 3% e você pagaria R$ 9,27 de juros em um empréstimo de R$ 100,00 pago em três parcelas. 

Taxa de juros por tipo de empréstimo

Agora que você já aprendeu como calcular, confira as taxas de juros dos principais tipos de empréstimo disponível no mercado.

Qual a taxa de juros do empréstimo consignado?

O empréstimo consignado  é uma das linhas mais atrativas para quem busca economizar nas parcelas. A modalidade de crédito exclusiva para beneficiários do INSS, funcionários públicos e de empresas privadas é considerada uma alternativa de crédito saudável.

Isso porque a taxa de juros do consignado está entre as menores do mercado. Para se ter uma noção, chega a ser até 10 vezes mais barata que outras convencionais, como o cheque especial ou o rotativo do cartão de crédito. 

Para se ter uma ideia, no consignado a taxa média de juros varia entre 20% e 35% ao ano. Enquanto isso, modalidades de empréstimos mais populares entre os consumidores chegam a bater a exorbitante marca de três dígitos. 

Veja, a seguir, um comparativo entre as taxas de juros do empréstimo consignado privado entre as principais instituições financeiras que oferecem o serviço:

Instituição % a.m. % a.a.
CREDITAS   1,25   16.06
CAIXA ECONOMICA FEDERAL   2,04   27,37
BANCO INTER   2,02   27,14
BANCO AGIBANK   2,07   27,85
BANCO SAFRA   2,09   28,12
BANCO DO BRASIL   2,22   30,15
BANCO BRADESCO   2,68   37,38
BANCO SANTANDER   2,59   35,87
ITAÚ UNIBANCO   2,93   41,40

*Dados disponibilizados pelo Banco Central do Brasil, obtidos em agosto de 2022.

Se você tiver dúvidas sobre o tema, temos um guia completo que explica tudo sobre a taxa de juros do empréstimo consignado.

Qual a taxa de juros do empréstimo pessoal?

As taxas de juros do empréstimo pessoal também variam de acordo com a política do agente financeiro,  valor solicitado, período de pagamento, histórico e perfil financeiro de quem solicita o crédito.

Muitas pessoas recorrem ao empréstimo pessoal devido a facilidade na contratação, já que essa modalidade não exige análises de crédito complexas. No entanto, é justamente essa facilidade que faz com que as taxas de juros sejam altas, visto que a instituição financeira não possui garantias de que a dívida será quitada.

Veja a média dos juros praticados nas principais instituições financeiras na modalidade de empréstimo pessoal sem garantia:

  Taxas de juros
Instituição % a.m. % a.a.
CREDITAS (Garantia de Imóvel) 0,99 12,55
CREDITAS (Garantia de Veículo) 1,49 19,42
BANCO AGIBANK   2,07   27,85
CAIXA ECONOMICA FEDERAL 2,25 30,67
ITAÚ 4,24 64,64
BANCO DO BRASIL 4,27 65,14
BANCO SANTANDER 4,38 67,26
BANCO BRADESCO 5,95 100,13
CREFISA 20,12 802,70
JBCRED 22,65  1.058,99

*Dados disponibilizados pelo Banco Central do Brasil, obtidos em agosto de 2022.

Qual a taxa de juros do empréstimo com garantia?

Instituição % a.m. % a.a.
CREDITAS (Garantia de Imóvel) 0,99 12,55
CREDITAS (Garantia de Veículo) 1,49 19,42

Além do empréstimo pessoal convencional, existe a opção de empréstimo com garantia. Nesse caso, é possível conseguir taxas de juros mais baixas e parcelas mais baratas, justamente porque você garante a quitação da dívida oferecendo um bem como garantia, como uma casa ou um veículo.

Essa modalidade tem ganhado espaço e cada vez mais pessoas optam por ela. Isso porque é uma oportunidade de conseguir quantias elevadas com empréstimos com juros baixos e prazos longos. Para ter acesso às condições diferenciadas, você pode assegurar o pagamento com imóvel ou veículo. A vantagem é que quem contrata continua usando o bem normalmente até quitar a dívida.

Ao lado você pode conferir a diferença entre as taxas de juros a.a. de empréstimos com garantia de imóvel e veículo x as de empréstimo pessoal e rotativo do cartão de crédito.

Se você ainda tiver dúvidas sobre essa modalidade de crédito, temos duas matérias que podem te ajudar:

Como é feito o cálculo de juros ao mês?

A taxa de juros ao mês será determinada pela instituição onde você tomou crédito. Com esse valor em mãos, você precisa entender se o juros é simples ou composto e aplicar as fórmulas já explicadas nos tópicos acima.

Para facilitar, vamos a um exemplo. Ao solicitar um empréstimo de R$ 100,00, ficou acordado que o juros seria de 1% ao mês até o fim do pagamento de todas as 3 parcelas. Sendo assim:

Parcela 

Capital (R$) Juros a.m. Montante (R$) Capital + Juros

1

R$ 100,00 3% de R$ 100 = R$ 3,00 R$ 103,00

2

R$ 103,00 3% de R$ 103 = R$ 3,09

R$ 106,09

3

R$ 106,09 3% de R$ 106,09 = R$ 3,18

R$ 109,27

Você tomou um total de R$ 100,00 e pagou R$ 109,27. Sendo assim, foi acrescido um total de R$ 9,27 como juros no pagamento do seu crédito.

Para calcular os juros ao mês você pode aplicar as contas acima ou simplesmente utilizar um site que possa fazer os cálculos dos juros por você. Confira dois exemplos abaixo:

E então, percebeu como é importante saber calcular e comparar a taxa de juros de empréstimos? Assim você evita cair em armadilhas e garante um bom negócio. Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários. 

Newsletter

Exponencial

Assine a newsletter e fique por dentro de todas as nossas novidades.

Nome
E-mail

Ao assinar a newsletter, declaro que concordo com a Política de privacidade da Creditas.

Publicações recentes

Realizando sonhos

7 dicas para economizar na compra de passagens aéreas