Revolucionando o empréstimo no Brasil
Use seu carro como garantia de novas conquistas
Use seu carro como garantia de novas conquistas
Finanças

Qual é o valor do dólar? Entenda porque é importante saber disso

A moeda americana é considerada super importante para a economia mundial e pra as compras do seu dia a dia. Entenda tudo sobre isso aqui
Escrito por Mariana Lima em 25.11.2020 | Atualizado em 25.11.2020
  • 3 Likes

Muito além de pensar nas férias ou em compras no exterior, saber o valor do dólar americano é muito mais importante do que você imagina. Entender a cotação do dólar ajudará você a economizar no supermercado, calcular melhor os gastos e entender sobre investimentos. Dito isso, você saberia responder qual é o valor do dólar hoje?

Calma, não é tão simples decorar essa informação — e você nem precisa fazer isso! A oscilação do dólar é algo constante e, a não ser que você trabalhe com câmbio, não é necessário ter esse valor na ponta da língua de hora em hora.

Mas por que acompanhar o valor do dólar é tão importante? E como entender o sobe e desce do dólar? É o que veremos neste artigo.

A importância do dólar dos Estados Unidos

Você sabia que hoje há mais de um tipo de Dólar? Existe uma variação dessa moeda no Canadá, Fiji, Taiwan, Bermudas, Hong Kong e muitos outros países. Mas o dólar popularmente conhecido é o dos Estados Unidos, e é sobre o dólar americano que vamos falar por aqui.

Atualmente, os Estados Unidos são considerados a principal economia do mundo e isso garante ao país a chance de ditar algumas normas mundiais. E foi com essa vantagem americana que o inglês se tornou a língua universal e, o dólar, a principal moeda do mundo.

Por ser a moeda que dita a economia mundial, todos os países fazem transações em dólar. Assim, quando o governo ou empresas brasileiras compram ou vendem algo de outro país, o dinheiro usado é o Dólar e não o Real. 

Como a economia hoje é globalizada, trocas assim entre países acontecem o tempo todo. Por isso é tão importante que exista uma reserva dessa moeda estrangeira no Brasil. 

Como funciona a cotação do dólar

A moeda funciona como uma demonstração da saúde financeira de um país. É por isso que grandes economias têm moedas fortes e mais valorizadas que países em desenvolvimento e com problemas financeiros.

Como é uma referência global, a moeda dos Estados Unidos serve como parâmetro para entender o peso da economia dos outros países. 

Na prática e de forma simplificada funciona assim:

Em comparação com os Estados Unidos, como está a economia do Brasil neste momento? Se está mais fraca, o Real perde valor. Mas se está mais consolidada e forte, o Real fecha o dia valendo mais do que o Dólar.

A mesma comparação acontece com todos os países e blocos econômicos do mundo.

Por que o dólar sobe e desce

Agora você deve estar se perguntando: o que influencia o dólar? Há vários fatores, entre eles, um princípio básico da economia chamada “lei de oferta e demanda”.

Esse princípio é bem fácil de entender: quanto mais pessoas querem um produto, mais caro ele fica. E quanto menos pessoas querem um produto, mais barato ele fica.

Logo, se tem uma reserva baixa de dólar no Brasil, o valor da moeda americana fica mais alto. E quando existe muito dólar circulando no País, ele fica mais barato.

Para entender melhor como funciona a oscilação do câmbio, precisamos conhecer bem os dois principais tipos de dólar americano que são negociados no Brasil: o dólar comercial e o de turismo.

Dólar comercial

Lembra que falamos que a moeda americana era usada por empresas para negociar compra e venda de materiais estrangeiros? Esse é o dólar comercial.

O valor do dólar comercial costuma ser menor que o de turismo devido ao volume de dinheiro usado nas transações. Como empresas, governo e instituições financeiras usam grandes quantias de uma só vez, o preço deste tipo de dólar fica menor (olha aí a lei da oferta e demanda!).

Esse dólar impacta diretamente na economia do Brasil porque está ligado aos produtos que são vendidos aqui no País. Assim, quando o dólar está mais alto, estes produto tendem a ficar mais caros.

Por exemplo:

Quando você vai ao supermercado e compra produtos importados, eles possuem o preço do dólar embutido no valor final. Se o dólar comercial estava alto quando a rede de supermercados comprou o produto para revender, o produto chega mais caro na prateleira para você.

Esse aumento fica evidente em produtos que visivelmente são importados — aqueles que a embalagem está completamente escrita em outra língua —, mas eles não são os únicos a sofrer com essa alteração.

Ao comprar um carro no Brasil, por exemplo, o valor também muda de acordo com o preço do dólar. O mesmo acontece com aparelhos celulares, televisores, computadores etc. Isso ocorre porque, mesmo quando são montados no Brasil, esses bens possuem peças estrangeiras que foram compradas em dólar.

Dólar de turismo

Assim como o nome diz, esse tipo de dólar é usado por pessoas físicas para realizar viagens e comprar produtos em empresas no exterior.

O dólar de turismo costuma ser mais caro porque o volume de transações de uma pessoa física é bem menor do que uma empresa ou um banco.

Ao comprar produtos no exterior no cartão de crédito, por exemplo, o seu banco faz a conversão automática do dólar para o real, por isso é importante acompanhar o valor da cotação quando for fazer esse tipo de compra.

Além disso, fique atento para a cobrança de taxas em compras internacionais, como é o caso do IOF.

Por que o dólar sobe?

Há vários fatores que impactam na alta do dólar, vamos destacar os três principais:

1. Déficit da balança comercial

Nesse caso, o Brasil compra mais produtos estrangeiros do que vende para outros países, ou seja, sai muito mais dólar do País do que entra. 

Lembra da oferta e da demanda? Com menos moeda americana circulando por aqui, o dólar fica mais caro, ou seja, o valor da moeda sobe.

2. Gastos no exterior

Uma comprinha em um site da China ou uma viagem de férias para a Disney parece ser inofensivo para a economia brasileira, né? Agora imagina boa parte da população brasileira fazendo isso.

Quando gastamos mais em outros países, fazemos um movimento parecido com o das empresas: jogamos dólar para o exterior mais do que os outros países jogam para dentro do Brasil.

Olha a oferta e demanda de novo! E é assim que fica faltando dólar no Brasil e o preço da moeda estrangeira sobe aqui.

3. Juros dos Estados Unidos

Lembra que os Estados Unidos ditam as regras da economia mundial? Por serem a referência global em economia, os papéis públicos dos americanos (um primo gringo do nosso Tesouro Direto) são considerados os investimentos mais seguros do mundo.

Quando o governo americano sobe os juros do país, esses papéis americanos ficam mais vantajosos para os investidores — que encontram a situação ideal no mundo dos investimentos: mais dinheiro e mais segurança.

Nesses casos, é comum que os investidores tirem os dólares aplicados em outros países para investir nos EUA. No Brasil, a coisa não é diferente e acabamos perdendo esse dinheiro para o mercado americano.

Por que o dólar cai?

Quando o cenário é o contrário do que falamos anteriormente, o valor do Real se valoriza em relação ao Dólar aqui no Brasil. Veja os três casos:

1. Superávit comercial

Agora, em vez de comprarmos mais produtos estrangeiros, nós estamos vendendo mais para outros países. Nesse caso, entra mais dólar no Brasil do que sai, a nossa reserva de dólar fica maior e o preço da moeda americana cai.

2. Gastos de estrangeiros

Quando atraímos mais turistas para o Brasil, eles chegam com as suas carteiras cheias de Dólar para trocar pelo Real e gastar por aqui. 

Com essa troca de câmbio, entra mais dólar no País e nossa reserva fica mais robusta, derrubando o preço da moeda dos EUA aqui.

3. Juros do Brasil

Você já deve ter ouvido falar da Taxa Selic. Assim como funciona nos EUA, o governo brasileiro também pode mexer na taxa de juros, deixando o nosso Tesouro Direto mais interessante para os investidores internacionais, que passam a investir no Brasil.

 

E aí, gostou de saber um pouco mais sobre a importância do dólar pro seu bolso? Agora é ficar de olho no noticiário para organizar melhor as suas finanças pessoais! Conta pra gente nos comentários o que você achou deste artigo.

Receba conteúdos exclusivos
Não perca nenhuma novidade, assine nossa newsletter.
Carregando...
  • 3 Likes
Tags
  • Câmbio
  • Dólar
Mariana Lima

Escrito por Mariana Lima

Jornalista especializada em finanças pessoais e macroeconomia. Foi repórter de economia nos maiores jornais do Brasil e acredita que a educação financeira é o primeiro passo para realizar sonhos.

Comentários [0]

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentário enviado com sucesso!
Erro ao enviar comentário. Por favor, tente novamente.
Revolucionando o empréstimo no Brasil

Quem somos

As transformações do mundo exigem cada vez mais de nós. Mais funções, mais responsabilidades, mais conhecimento. Mais, mais e mais. Mas o que Creditas e Exponencial têm a ver com isso?

Somos movidos por fazer a diferença na vida das pessoas. Se vivemos o tempo das informações ilimitadas, é nossa função criar e filtrar diferentes conteúdos aos nossos leitores, para que o conhecimento financeiro deles cresça exponencialmente.

Exponencial. Informação é fonte de crescimento.

A Creditas é uma plataforma digital que atua como correspondente bancário para facilitar o processo de contratação de empréstimos. Como correspondente bancário, seguimos as diretrizes do Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011.

Creditas Soluções Financeiras Ltda. é uma sociedade limitada registrada sob o CNPJ/MF 17.770.708/0001-24, com sede na Av. Engenheiro Luís Carlos Berrini, 105, 12º andar Itaim Bibi, São Paulo – SP, 04571-010