• Simule seu crédito

    Simule seu crédito

    • Empréstimo com veículo em garantia
    • Empréstimo com imóvel em garantia
    • Empréstimo consignado
    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Soluções

    Soluções

    • Imóveis

    • Empréstimo com garantia
    • Aluguel
    • Financiamento
    • Seguro Casa
    • Carros

    • Empréstimo com garantia
    • Financiamento de carros
    • Seguro Auto
    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Seguros

    Seguros

      Soluções de seguros para proteger suas conquistas. Cote online, compare preços e economize com a maior corretora online do país, a Minuto Seguros, uma empresa Creditas.

    • Para você

    • Auto
    • Casa
    • Viagem
    • Vida
    • Acidentes Pessoais
    • Mais seguros para empresas
    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Benefícios corporativos
  • Ajuda
Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Controle financeiro
  • Realizando sonhos
  • Saia do Vermelho
  • Me explica Creditas
  • Tudo sobre Crédito
  • Meu negócio
  1. Home

  2. Controle Financeiro

Controle Financeiro

Vale a pena antecipar a Restituição do Imposto de Renda?

O serviço, que é um tipo de empréstimo, pode ser uma boa opção em situações emergenciais ou de investimento no próprio negócio. No entanto, os bancos cobram juros e tributos

por Portal Exponencial

Atualizado em 16 de agosto, 2023

Vale a pena antecipar a Restituição do Imposto de Renda?

Quer saber se vale a pena antecipar a restituição do Imposto de Renda? Então você está no lugar certo. Nesta matéria, você encontra tudo que precisa para entender sobre essa modalidade de crédito.

O prazo final para a declaração do Imposto de Renda se aproxima e chegará ao fim em 31 de maio. Para aqueles que já estão em dia com a Receita Federal, a boa notícia é que a restituição do Imposto de Renda 2020 está sendo liberada desde maio, com todos os contribuintes previstos para receberem até o dia 29 de setembro.

No entanto, é importante que você saiba que é possível solicitar antecipação do pagamento da restituição, que funciona como uma modalidade de empréstimo. Antes de tomar essa decisão, no entanto, é necessário verificar se a declaração é passível de restituição, ou seja, se o contribuinte pagou mais impostos do que deveria ao longo do ano anterior e, por isso, pode ter direito a reaver uma parcela desse valor.

Precisando de crédito para realizar seus objetivos?

Use seu carro ou imóvel para ter crédito rápido e seguro com juros a partir de 1,09% ao mês +IPCA e até 240 meses para pagar.

Simule agora

A seguir, saiba mais sobre:

Como funciona a antecipação do IR?

Antes de solicitar formalmente a antecipação da restituição do Imposto de Renda, o contribuinte deve se atentar a alguns pontos como a taxa de juros sobre o empréstimo, tributos e tarifas bancárias que serão cobradas durante a operação.

Cada instituição aplica uma taxa de juros sobre a antecipação do Imposto de Renda, que pode variar de 1,79% (Banco do Brasil e Bradesco) até 5,99% (Santander). Além disso, cada banco estabelece seu próprio prazo para quitação das parcelas e limite de tomada de crédito. 

Como a quitação pelo serviço é debitada em parcela única - direto da conta do cliente - é importante que ele tenha a certeza de que terá o valor para honrar o empréstimo.

Se cair na malha fina e tiver que retificar o informe, o contribuinte só receberá o dinheiro assim que a situação for regularizada com o Leão. Enquanto isso, terá que pagar os juros determinados pelo banco.

Por isso, órgãos de defesa do consumidor recomendam que o cliente leia atentamente todos os termos do contrato de antecipação da restituição do IR para estar ciente de todos os custos adicionais que podem ser embutidos na operação.

Datas da restituição do Imposto de Renda

Aos que não foram contemplados com o benefício ao longo do segundo lote, não se preocupem. Até o final do ano a Receita Federal irá liberar os próximos lotes. No total, são cinco lotes de restituição.  

O calendário da restituição do Imposto de Renda 2023 ficou da seguinte forma:

  • Primeiro lote: 31 de maio;
  • Segundo lote: 30 de junho;
  • Terceiro lote: 31 de julho;
  • Quarto lote: 31 de agosto;
  • Quinto e último lote: 29 de setembro.

Vale a pena antecipar a restituição do Imposto de Renda?

Levando em consideração o valor a ser recebido pela restituição e das condições oferecidas ao pedir sua antecipação no banco, o próximo passo é analisar se vale a pena se engajar nessa linha de empréstimo.

Para Murilo Torelli, professor de contabilidade da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a antecipação pode ser vantajosa em duas situações: emergenciais e de investimento no próprio negócio.

O montante pode se tornar um grande aliado para a quitação de dívidas caras, como cheque especial, rotativo do cartão de crédito ou de um empréstimo pessoal, por exemplo. Já o crédito para investir deve ser tomado após uma análise minuciosa sobre o custo-benefício.

“Se a pessoa estiver necessitando muito do dinheiro, aparentemente vai valer a pena. É simples e rápido para o cliente e para o banco”, afirma Torelli. “Pode ser um bom acordo também se ela tiver um negócio em que já queria investir na estrutura, produtos e etc, e que ela sabe que vai dar uma taxa de retorno que vale a pena”, completa.

O especialista também alerta que muitos cidadãos, por conta da desconfiança com o poder público ou por ansiedade, também acabam pedindo a restituição do Imposto de Renda de forma antecipada - o que representa um risco às finanças pessoais.

“O fator emocional de ter o dinheiro antes pode iludir a pessoa. Se ela estiver bem financeiramente, não precisa da antecipação”, diz Murilo Torelli.

Considere outras modalidades de empréstimo

Antes de bater o martelo e solicitar a antecipação da restituição do Imposto de Renda 2019 ao banco, avalie outras linhas de empréstimo de mais qualidade que podem sair mais ‘em conta’ ao final da operação.

O crédito consignado ou o empréstimo com garantia são opções que podem render ao contribuinte um volume maior de crédito, com prazos mais longos de pagamento e parcelas mais flexíveis.

Somando-se às condições, o Procon-SP recomenda também que se observe os tributos que a instituição pode embutir na cobrança mensal e compará-los com o que será cobrado em outras modalidades de empréstimo -  como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e tarifas bancárias, por exemplo.

A união de todos esses valores gera o Custo Efetivo da Operação (CET) - que representa o quanto realmente custará receber o dinheiro de forma antecipada.

“Geralmente, nos primeiros 30 dias (após contratado o empréstimo) corre o IOF. Ou seja, no primeiro mês o banco vai cobrar um valor a mais junto com os juros por antecipar o IR por conta desse imposto”, detalha Murilo Torelli, da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Se tiver dúvidas quanto ao custo total de se tomar o empréstimo, questione o banco.

Fique atento à malha fina

Um alerta se faz também sobre o risco do contribuinte cair na malha fina e se complicar com o banco.

Caso seja questionado pela Receita Federal e não faça a retificação ao longo do ano, a pessoa poderá ter o valor da restituição na conta somente a partir de 2021, quando serão liberados os lotes residuais.

Até lá, os juros firmados em contrato com a instituição financeira serão descontados mensalmente do cliente - o que pode complicar as finanças e causar um mau endividamento.

“O contribuinte não sabe exatamente em qual lote ele vai cair, então pode ficar até 10 meses pagando juros”, atenta o professor Murilo Torelli. “Se estiver na malha fina, pode postergar ainda mais o recebimento e a dívida acaba crescendo”.

Caso você tenha contratado uma linha de crédito em 2018 e ainda não tenha enviado o informe ao Leão, leia o conteúdo sobre como declarar o empréstimo no Imposto de Renda para evitar o risco de cair na malha fina.

Planeje o que fazer com sua restituição do Imposto de Renda

Com a chegada da tão esperada “renda extra”, a dúvida sobre como otimizar o uso e estruturar o destino mais inteligente passa a ser recorrente. 

Para a especialista em finanças pessoais, Carol Sandler, fundadora do canal Finanças Femininas, a primeira dica é simples, porém, fundamental: planejamento.

Segundo Carol, sem o foco e um planejamento financeiro estruturado, a possibilidade de gastar a quantia e se enrolar no futuro é maior. 

“Deixa para se planejar e dar um futuro para o dinheiro quando ele cair”, diz Carol. “Temos uma tendência de trazer tudo para o presente, gasta e quando você perceber, na hora que o dinheiro de fato cair, você já está devendo”, completa.   

Com o planejamento em mãos, a principal recomendação é se livrar de débitos antigos - ou seja, quitar dívidas e boletos atrasados. Na sequência, é possível avaliar opções como viajar, investir e etc.

“O primeiro passo é o autoconhecimento”, diz Carol. “Mas, sem dúvida, se a pessoa está com dívida, o principal é usar aquele dinheiro [da restituição] para zerar as dívidas", orienta a especialista. 

Que bancos fazem antecipação do IR

Veja abaixo quais os bancos e instituições financeiras que realizam a antecipação do IR:

Vale reforçar que você deve pesquisar bem as instituições que oferecem essa linha de crédito e ver se elas realmente se adaptam as suas necessidades e condições de pagamento. Se estiver com dúvida sobre isso, consulte o tópico "Como funciona a antecipação do IR".

Agora que você já sabe como fazer e se vale a pena antecipar a restituição do Imposto de Renda, compartilhe com quem ainda tem dúvidas de como fazer a declaração.

Se quer receber mais conteúdos como esse diretamente no seu e-mail é só se cadastrar na Newsletter da Creditas.

Newsletter

Exponencial

Assine a newsletter e fique por dentro de todas as nossas novidades.

Nome
E-mail

Ao assinar a newsletter, declaro que concordo com a Política de privacidade da Creditas.

Publicações recentes

Me explica Creditas

Deduções Imposto de Renda 2024: o que pode ser deduzido