• Simule seu crédito

    Simule seu crédito

    • Empréstimo com veículo em garantia
    • Empréstimo com imóvel em garantia
    • Empréstimo consignado
    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Soluções

    Soluções

    • Imóveis
    • Reforma
    • Venda
    • Troca
    • Carros

    • Financiamento de carros
    • Loja de carros
    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Store

    Store

    Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Empresas
  • Ajuda
Mais praticidade? Baixe nosso app:
  • Controle financeiro
  • Realizando sonhos
  • Saia do Vermelho
  • Me explica Creditas
  • Tudo sobre Crédito
  • Meu negócio
  1. Home

  2. Meu negócio

Meu negócio

Empréstimo para empresa: 7 passos para eliminar de vez a burocracia

Excesso de etapas e de garantias exigidas são obstáculos para pequenos empresários; veja como ultrapassá-los

por Portal Exponencial

Atualizado em 11 de fevereiro, 2021

Conseguir crédito não é tarefa fácil para boa parte dos pequenos e microempresários no Brasil. É o que mostra uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Mais de um terço (34%) dos empresários de menor porte considera difícil contratar algum tipo de empréstimo para empresa nos dias de hoje. O principal entrave: o excesso de burocracia e de garantias exigidas pelas instituições financeiras.

Isso porque, para conceder o empréstimo para empresa, o micro e pequeno empreendedor deve ter em mãos inúmeros documentos, certidões e autenticações, que nem sempre são fáceis de acessar e/ou guardar. Em alguns casos, as instituições financeiras indicam a necessidade da presença de um avalista, assim como ter acesso ao histórico de relacionamento da pessoa com o banco. Mais que isso: em alguns casos, o empresário precisa apresentar plano de negócio, por exemplo.

Com o excesso de burocracia e de exigências de garantia, apenas 15% dos micro e pequenos pretendem acessar empréstimo para empresa pelos próximos 90 dias, segundo a pesquisa do SPC.

O efeito desse cenário nebuloso ocasiona um problema ainda maior: a maioria prefere investir recorrendo ao capital próprio podendo, em determinadas situações, misturar o caixa da empresa com o a conta da pessoa física, comprometendo o fluxo de caixa da companhia - e o pessoal. Segundo o Serasa Experian, o Brasil contabiliza hoje cinco milhões de micro e pequenas empresas no vermelho.

“A combinação de burocracia e juros altos são um obstáculo à contratação de crédito e consequentemente para o investimento, o que acaba por impactar o crescimento do país”, comenta Roque Pellizzaro Junior. “O crédito é um dos grandes motores da economia, pois gera consumo, emprego e renda.”

Empréstimo para empresa: como driblar as barreiras

Levando em consideração o alto índice de burocracia enfrentado pelos empreendedores no Brasil, uma das principais maneiras dos micro e pequenos empresários evitarem esse entrave é por meio do planejamento.

Segundo Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC, para tomar empréstimo com qualidade e fugir da burocracia, o primeiro passo é entender qual a fonte que motiva a necessidade do crédito e qual será o retorno que ele poderá gerar. Na sequência, avaliar as condições e estudar as modalidades.

“Muitas vezes, as opções mais fáceis, pré-autorizadas, como o cheque especial, não são as melhores”, diz o presidente da instituição. “A antecipação de recebíveis, por exemplo, tem um custo mais baixo", explica.

Já em relação a burocracia, Pellizaro aconselha que o empreendedor mantenha atualizado seu balanço patrimonial, certidões negativas e histórico de crédito. E lembra que, com a aprovação do Cadastro Positivo pelo Congresso Nacional,  o cenário pode melhorar. Na prática, com ele as instituições financeiras poderão realizar uma análise de crédito mais assertiva, o que deve reduzir as taxas de juros para os bons pagadores.

Outro passo muito importante nesse processo de tomar empréstimo para empresa - e fugir tanto da burocracia, quanto de se enrolar com as parcelas e ficar inadimplente - é levar em consideração o fluxo de caixa, capital de giro e capital de reserva.

Afinal, esse é o momento de ser mais racional e menos sonhador. Lembre-se: um mal planejamento pode colocar em xeque a sustentabilidade financeira da empresa. Os cálculos devem ser feitos com muito rigor e levando em consideração todos os cenários possíveis e impossíveis.

Panorama do empreendedorismo no Brasil

A crise econômica que assolou o Brasil de 2014 até 2017 provocou uma grande leva de desemprego, o que gerou uma onda de novas empresas no país como um todo. Chamado de empreendedorismo por necessidade, grande parte das novas companhias surgiram para compor a renda familiar e/ou ser a principal fonte de renda familiar.

Desencadeado pelo alto índice de desemprego – que, atualmente, atinge 13,4 milhões de pessoas – o movimento de abertura de novos negócios é a oportunidade de enfrentar a crise sem ficar fora do mercado de trabalho.

Com o alto número de abertura de companhias - e possibilidade de expansão delas - o empréstimo para empresa torna-se imprescindível. Assim como saber a hora certa de tomá-lo.

A fim de ajudar nesse processo, a Revista Digital Creditas preparou sete dicas para quem está procurando empréstimo para empresa. Veja abaixo como escolher a melhor opção e fugir da burocracia:

1- Planeje, planeje, planeje

Antes de pedir qualquer tipo de empréstimo, é preciso pensar para que esse dinheiro será necessário. Ele vai tapar um buraco no seu orçamento? Que retorno esse capital vai te trazer? Responder essas questões é necessário para saber se o crédito é realmente a melhor opção para o seu problema - às vezes, cortar custos pode ser a melhor alternativa.

Levando em consideração o empréstimo para empresa, o planejamento se faz ainda mais necessário. Isso porque, uma má organização pode implicar no fluxo de caixa da companhia e, até mesmo, na saúde financeira dela.

Para isso, é preciso saber  exatamente qual é a sua necessidade. Assim, você saberá quais são as melhores opções.

"É muito comum que o empreendedor chegue à instituição financeira precisando do dinheiro pra ontem e encontre opções a juros altos. Esse é o problema da falta de planejamento", diz Pellizaro.

2- É um bom pagador? Prove!

Outro ponto importante para fugir da burocracia no momento de tomar empréstimo para sua empresa, é provar para a instituição provedora do crédito que sua companhia é uma boa pagadora.

Manter atualizado o balanço patrimonial da sua empresa, suas certidões negativas de débito e um histórico de crédito é muito importante para ter acesso à opções de crédito a juros mais baixos. Certifique-se de que suas finanças pessoais estão em dia e que seu nome não consta no SPC ou Serasa.

É por isso que, para Pellizaro, o cenário pode melhorar com a aprovação do Cadastro Positivo. Na prática, ele permite que as empresas para as quais você (pessoa física ou empresa) pede crédito enxerguem todo o seu comportamento como pagador.

Isso pode ajudar o tomador de crédito a negociar com a instituição: se seu histórico de pagador é bom, são maiores as chances que você permaneça inadimplente; logo, pode negociar taxas de juros menores.

A situação legal e o capital próprio, por exemplo, são dois itens fundamentais na decisão do credor. Se você tem nome sujo, pode ter mais dificuldade de conseguir crédito ou encontrar juros mais altos.

3- Tente antecipar recebíveis

Nem sempre a opção de crédito mais fácil é a melhor financeiramente. O cheque especial, que já tem um limite pré-autorizado, costuma ser uma opção mais cara que a antecipação de recebíveis e de empréstimos em que é colocado um bem como garantia, por exemplo.

Com ela, você recebe antecipadamente valores que só receberia mais tarde, como vendas parceladas, a prazo, cheques e carnês. Como a garantia são as vendas que já foram realizadas, ela costuma ter juros mais baixos do que um empréstimo comum.

4- Precisa de velocidade? Vá de fintech

O processo de liberação de crédito por fintechs costuma ser totalmente digital. Além disso, elas utilizam tecnologia, como o big data, para avaliar o perfil do tomador de crédito, fazer a análise de risco, e calcular a melhor taxa para cada operação e cliente.

Com isso, esse processo é mais rápido do que nos bancos tradicionais. E como as operações são totalmente digitais, sem custos físicos, os juros costumam ser mais baixos.

5- Empréstimo para empresas com garantia

Quanto maior a chance de não receber o dinheiro emprestado, maiores serão as taxas de juros cobradas pelas instituições financeiras. É por isso que o empréstimo com garantia é uma opção com juros mais viáveis.

Como o tomador está oferecendo algo em caso de não pagamento da dívida, os juros acabam sendo menores. Você pode utilizar como garantia um imóvel ou um veículo.

6 - Preserve seus recursos e avalie seu caixa

Uma boa opção é procurar financiar máquinas e equipamentos em vez de capital de giro. As linhas de financiamento para investimentos fixos muitas vezes têm limites maiores, custos menores, prazos de pagamento mais extensos e as garantias são facilitadas.

7- E se der tudo errado?

Mais uma vez, o planejamento para solicitar empréstimo para empresa é muito importante. Independente da motivação do crédito em si: se é para expandir o negócio e/ou para renegociar as dívidas da companhia.

No caso do refinanciamento, é ainda mais importante se atentar ao momento que vai tomar o crédito. Ou seja, se você já sabe que não vai conseguir arcar com aquele custo, tente renegociar as condições o quanto antes.

Para fugir das burocracias no momento de tomar o empréstimo para empresa, é preciso ter dedicação, planejamento e sempre manter seus dados e documentos atualizados.

Newsletter

Exponencial

Assine a newsletter e fique por dentro de todas as nossas novidades.

Nome
E-mail

Ao assinar a newsletter, declaro que concordo com a Política de privacidade da Creditas.

Publicações recentes

Meu negócio

Como fazer declaração do MEI: passo a passo

4 minutos de leitura