Revolucionando o empréstimo no Brasil
Use seu carro como garantia de novas conquistas
Use seu carro como garantia de novas conquistas
Finanças

Como começar a investir? 6 dicas práticas para vencer o medo

Entrar para o mundo dos investimentos é importante para quem quer alcançar a independência financeira. Descubra como dar os primeiros passos para começar a investir seu dinheiro
Escrito por Flávia Marques em 08.11.2019 | Atualizado em 06.08.2020
  • 1 Likes

Como começar a investir? Quem quer alcançar a independência financeira cada vez mais tem buscado descobrir como dar os primeiros passos para entrar no mundo dos investimentos. 

Esse movimento reflete uma mudança no comportamento financeiro dos brasileiros. Para se ter ideia do fenômeno, em 2019 a Bolsa de Valores atingiu a marca histórica de 1,5 milhão de pessoas físicas investindo em ações.

Ainda assim, grande parte da população não sabe como começar a investir e tem medo de perder dinheiro nas operações.  

Na avaliação de Luciana Ikedo, especialista em investimentos, tal receio é reflexo da falta de conhecimento. “Quando eu busco saber mais sobre finanças e entendo o que estou fazendo, passo a enxergar o comportamento do mercado financeiro com mais naturalidade, conheço os riscos e o medo diminui”, defende Ikedo. 

Como começar a investir na Bolsa? 

Entrar para o universo dos investimentos e saber como começar a investir em ações é um passo importante rumo à independência financeira. Opções menos conservadoras, como a renda variável, têm sido mais buscadas pelos brasileiros graças à queda na Selic, que atingiu mínima histórica de 2% em agosto de 2020. 

Com a taxa básica de juros em baixa, os investimentos em renda fixa perdem em rentabilidade e, por isso, tornam-se menos atrativos. 

Mas, afinal, como começar? A especialista Luciana Ikedo listou algumas ações importantes para os que querem obter êxito. Confira, a seguir: 

1 - Busque informações 

É fundamental buscar conhecimento antes de começar a investir. “Nessa etapa, é imprescindível procurar por conteúdo qualificado”, aconselha. A própria Bolsa de Valores oferece cursos online e gratuitos, com conteúdos aprofundados sobre o assunto. Os materiais permitem que o novo investidor conheça mais sobre o mercado de renda variável, entenda o que significa se tornar sócio de uma empresa - pois é isso o que acontece quando ele compra ações - e os riscos daquela operação. 

“Eu costumo dizer que, quando alguém parte para a renda variável, é como se fizesse um teste no coração: os investimentos sofrem oscilações de preço, e a pessoa precisa estar preparada para lidar com isso e manter a calma”, afirma Luciana. 

Leia também: O que é taxa Selic e como afeta a sua vida

2 - Abra conta em uma corretora 

Depois de buscar aprendizado sobre investimentos e estar mais familiarizado com o assunto, o próximo passo para descobrir como começar a investir em ações é abrir uma conta em uma corretora. “Normalmente, para realizar as operações, o investidor deverá fazer transferências da sua conta bancária para a conta da corretora”, explica Luciana. 

A escolha da corretora é muito importante e exige cautela. Para tomar a melhor decisão, é fundamental pesquisar a idoneidade e o histórico de reclamações de cada instituição, verificar se ela oferece conteúdos interessantes para os investidores - como recomendações de carteira - e se possui sistema simples de usar. 

“Para quem está começando, é muito importante ter contato com uma plataforma que permita operacionalizar investimentos, fazer resgates e aplicações de forma fácil”, recomenda a especialista. 

3 - Monte a sua carteira 

A carteira de ações é a composição dos seus investimentos. Após a abertura da conta na corretora, é o momento de escolher em quais empresas deseja investir para começar a montar a carteira. 

“As principais corretoras publicam periodicamente uma carteira recomendada de compra e venda. É uma referência interessante para que quem ainda não investiu leia e se informe um pouco mais”, explica Luciana Ikedo. 

Além disso, você pode contar com a ajuda de um corretor. Identificando o seu perfil, ele saberá indicar as melhores ações para você investir seu dinheiro. 

Quais são as melhores opções para começar a investir?

Esta é a pergunta mais ouvida pelos especialistas em investimentos. No entanto, segundo Luciana Ikedo, não existe resposta pronta: para cada pessoa existem as opções de investimento mais adequadas. 

“É fundamental investir com consciência, respeitando o seu perfil e lembrando que ele é individual, independe dos demais”, alerta Luciana. “Além disso, é importante olhar para a sua capacidade financeira, o volume de recursos disponível para investir e, principalmente, reservar uma parte da renda para fundos com liquidez diária, ou seja, que podem ser resgatados imediatamente quando houver necessidade”, instrui a especialista.

Leia também: Disciplina financeira: Como poupar e investir pode mudar sua vida

Como começar a investir do zero?

Se você quer começar a investir, mas ainda não sabe se a Bolsa é o melhor caminho para sua realidade financeira, saiba que existem muitas possibilidades no mundo dos investimentos. E a primeira informação que qualquer investidor deve ter é sobre a importância de diversificar suas aplicações. 

Isso significa que ao tomar a  decisão de se tornar um investidor, não é recomendável que você aplique todo o seu dinheiro em apenas um tipo de investimento. 

A segunda informação essencial para quem quer investir é que poupança não é investimento. Isto é, seu dinheiro não cresce quando está na poupança. Pelo contrário, ele pode até mesmo perder valor ao ficar guardado, já que o rendimento é atrelado a taxa Selic. 

Poupança pode servir como um local para armazenar sua reserva de emergência, já que você precisa ter maior liquidez (acesso rápido) ao dinheiro em caso de algum evento inesperado. Ainda assim, manter sua reserva na poupança não é o mais indicado pelos especialistas. 

Há dois tipos de investimento: renda variável e renda fixa. Quando falamos de ações negociadas na Bolsa de Valores estamos falando de renda variável, ou seja, não há garantias de rentabilidade futura já que o mercado é volátil, oscila a todo instante.  

A renda fixa, por outro lado, consiste em um título público ou privado que funciona como um empréstimo do seu dinheiro para uma instituição. Você recebe, em troca, uma taxa de rendimento que pode ser prefixada ou pós-fixada, definida no momento da compra. 

Por exemplo, em um título de renda fixa pré-fixado em 8% ao ano você tem a garantia de que, independentemente das condições do mercado, irá receber  exatamente essa remuneração até a data do vencimento.

Já a taxa pós-fixada é atrelada a um indexador da economia, como taxa Selic, IPCA e  CDI. isso significa que os rendimentos podem variar conforme o desempenho destes índices.

Os investimentos da renda variável são:

  • Ações
  • Contratos futuros
  • Commodities
  • Opções
  • Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs)
  • Exchange Traded Funds (ETFs)
  • COE

Os investimentos de renda fixa são: 

  • Tesouro Direto
  • CDB
  • LCI/LCA
  • CRI/CRA
  • LC
  • Debêntures
  • Fundos de Investimentos 

Como começar a investir com pouco dinheiro?

Conhecendo os tipos de investimento possíveis, entendendo a importância da diversificação e tendo em mente que poupança não é investimento você já sabe como começar a investir e fazer as escolhas mais confortáveis para seu perfil.   

Mas como começar a investir em ações com pouco dinheiro? Será que é possível eu me tornar um investidor de renda variável ou fixa quando não tenho muito para aplicar? A resposta é “sim”, é possível começar a investir, mesmo com quantias baixas de dinheiro, tanto na bolsa quanto em investimentos de renda fixa. 

O segredo para investir com pouco dinheiro é saber escolher o ativo certo. Não existe um valor mínimo para operar na Bolsa de Valores. Se uma empresa tiver papéis negociados a R$ 5 reais, você pode comprá-los. 

Mas, uma das alternativas mais indicadas para quem quer investir pequenas quantias é descobrir como começar a investir no tesouro direto. 

O aporte inicial deste ativo é de R$ 100,00 e a rentabilidade do Tesouro Direto é próxima de 100% do CDI (6,40% ao ano). O CDI representa a taxa justa que todo investidor deve exigir ao aplicar em renda fixa. 

Outro benefício de aplicar em títulos públicos é o baixo risco, já que eles são emitidos pelo governo.

Se você tiver disponível uma quantia maior de dinheiro para começar a investir, como R$ 1 mil, por exemplo, já é possível apostar em LCI/LCAs e CDBs, que são títulos de renda fixa privados que oferecem rendimentos próximos de 100% do CDI. 

Leia também: Coronavírus derruba bolsa e reduz ganhos em investimentos

Como começar a investir em bitcoins?

Agora que você já sabe como começar a investir em ações e em renda fixa e entendeu a importância de diversificar na hora de aplicar seu dinheiro, pode ser um bom momento para conhecer um pouco mais sobre bitcoin. 

Bitcoin é uma moeda digital descentralizada, isto é, que não precisa de bancos, financeiras ou governos para funcionar. Ela foi a primeira do mundo e funciona desde 2009. 

Por sua rápida valorização, muitos pensam em investir dinheiro em bitcoin. Mas, atenção: este é um mercado que opera ininterruptamente todos os dias e é muito volátil. Muitas vezes, o bitcoin pode valorizar 20% em um dia, mas perder 50% do seu preço no dia seguinte. 

Dessa forma, antes de pensar em investir em bitcoin é muito importante buscar por informações seguras sobre este mercado. Após compreender todos os riscos e saber exatamente como este mercado funciona, aí sim você estará pronto para investir em criptomoeda.

É um erro cair na tentação de investir todo seu capital em bitcoin. Como falamos anteriormente, o interessante para quem quer entrar no mundo do investimento é sempre buscar a diversificação. Colocar um pouco de dinheiro em diversos tipos investimentos é o caminho para não perder grandes quantias, já que o risco de cada um é diferente.

Em bitcoin, o ideal é que inicialmente seja feito um aporte pequeno, para buscar se adaptar à realidade e dinamismo do mercado. Existem corretoras de bitcoin que podem ajudar você nesse processo. Não se esqueça de pesquisar a reputação dessas empresas no mercado antes de aplicar seu dinheiro.

Agora que você já sabe como começar a investir, não deixe de assinar a newsletter do Portal Exponencial e receba informações exclusivas sobre investimento, economia e finanças. Deixe também um comentário compartilhando sua experiência com investimentos.

Receba conteúdos exclusivos
Não perca nenhuma novidade, assine nossa newsletter.
Carregando...
  • 1 Likes
Flávia Marques

Escrito por Flávia Marques

Repórter do Portal Exponencial, jornalista e curiosa. Gosta de observar, absorver e, diariamente, dividir o que aprende escrevendo.

Comentários [0]

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentário enviado com sucesso!
Erro ao enviar comentário. Por favor, tente novamente.
Revolucionando o empréstimo no Brasil

Quem somos

As transformações do mundo exigem cada vez mais de nós. Mais funções, mais responsabilidades, mais conhecimento. Mais, mais e mais. Mas o que Creditas e Exponencial têm a ver com isso?

Somos movidos por fazer a diferença na vida das pessoas. Se vivemos o tempo das informações ilimitadas, é nossa função criar e filtrar diferentes conteúdos aos nossos leitores, para que o conhecimento financeiro deles cresça exponencialmente.

Exponencial. Informação é fonte de crescimento.

A Creditas é uma plataforma digital que atua como correspondente bancário para facilitar o processo de contratação de empréstimos. Como correspondente bancário, seguimos as diretrizes do Banco Central do Brasil, nos termos da Resolução nº. 3.954, de 24 de fevereiro de 2011.

Creditas Soluções Financeiras Ltda. é uma sociedade limitada registrada sob o CNPJ/MF 17.770.708/0001-24, com sede na Av. Engenheiro Luís Carlos Berrini, 105, 12º andar Itaim Bibi, São Paulo – SP, 04571-010